Empresas de vários países investem para a redução da despoluição nos oceanos

Uma aliança acaba de ser estabelecida para combater o descarte incorreto de plástico, que acabam tendo como destino final os oceanos, com graves consequências para a natureza.

A Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos, formada por 30 empresas de todo o mundo, investiu um bilhão de dólares e pretende investir mais US$1,5 bilhão nos próximos cinco anos para enfrentar o problema.

A Aliança é uma organização sem fins lucrativos e inclui empresas que produzem, utilizam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos. O objetivo é diminuir a quantidade de resíduos plásticos no meio ambiente, dar o destino correto para plásticos usados, incentivando a reciclagem e gerando uma economia circular em torno desses resíduos.

A preocupação se torna ainda maior porque, segundo uma pesquisa da Ocean Conservacy, cerca de 80% do plástico que vai parar nos oceanos chega pelos rios e começa como lixo nas cidades.

“Todos concordam que o lugar dos resíduos plásticos não é nos oceanos ou em qualquer lugar do meio ambiente. Este é um desafio global sério e complexo que exige ações rápidas e forte liderança”, disse David Taylor, presidente da Procter & Gamble, uma das empresas participantes do projeto.

Entre as empresas fundadoras da Aliança está a brasileira Braskem, além de Basf, Dow, Henkel, Mitsubishi Chemical Holdings, Procter & Gamble, além de parceria com ONGs, prefeituras municipais e estaduais ao redor do mundo.