Data (13 de setembro) remete à Revolta da Cachaça, há 359 anos

 

Foi num 13 de setembro, há 359 anos, graças à Revolta da Cachaça (veja mais adiante), que a Corte Portuguesa assinou a permissão para a comercialização da cachaça no Brasil, o que tornou a bebida legal, já que até então era proibida.

Daí que o Instituto Brasileiro da Cachaça escolheu esse dia para homenagear o precioso líquido e 13 de setembro virou o Dia da Cachaça, embora, para o bom apreciador, como os membros da confraria Provadores de Cachaça, qualquer dia é dia de provar uma boa cachaça.

Bebida típica e exclusiva do Brasil, a cachaça pode ser considerada o primeiro destilado das Américas, tendo sido produzida, pela primeira vez, de forma intencional, em algum engenho de açúcar do litoral brasileiro, entre os anos de 1516 e 1532, antes mesmo do aparecimento do Pisco, da Tequila e do Rum. Não se sabe exatamente onde foi a primeira destilagem: São Vicente, Pernambuco ou Bahia.

Hoje, a cachaça ocupa posição de destaque, com qualidade comparável à dos melhores destilados do mundo.

Em 1635, o rei de Portugal proibiu a produção e comercialização da cachaça com o objetivo de incentivar o consumo da bagaceira. Em 1659, um novo decreto real proibiu o comércio da bebida, com os portugueses apertando o cerco aos produtores com ameaças de deportação, apreensão do produto e destruição dos alambiques. Em 1660, os produtores fluminenses lideraram uma rebelião e tomaram o governo da cidade. Era a Revolta da Cachaça, movimento que abriu caminho para a legalização da cachaça, que ocorreu em 13 de setembro de 1661.

Para Carlos Lima, Diretor Executivo do IBRAC, o trabalho conjunto de produtores, entidades de classe e governos tem sido importante para a valorização, afirmação e o desenvolvimento da cachaça.

O Brasil possui uma capacidade instalada de produção de 1,2 bilhão de litros por ano, mas a produção real está estimada em 700 a 800 milhões de litros/ano. Segundo o Anuário da Cachaça do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) existem hoje no Brasil 1.086 estabelecimentos produtores de cachaça e aguardente de cana registrados.

É um dos quatro destilados mais consumidos no mundo.