A principal recomendação das autoridades de saúde para evitar a contaminação com coronavírus é básica: lavar as mãos com água e sabão, mas milhares de pessoas não podem seguir esta recomendação porque sofrem com falta de água e saneamento básico.

No Rio de Janeiro, moradores de comunidades estão, há mais de 20 dias, sem abastecimento de água e, desde o começo deste ano, diversas regiões do estado estavam recebendo água suja na torneira.

Assim, fica difícil manter a população segura contra um vírus que se espelha e contamina tão facilmente.

A falta de água e tratamento também coloca a população em risco de ter outras doenças e infecções, facilita o surgimento de mosquitos da dengue e ainda prejudica em níveis sociais.

No Brasil, 85% dos municípios têm tratamento de água e esgoto, mas 75 milhões de pessoas ainda não são atendidas por esse serviço básico, conforme o levantamento do Instituto Millenium de combate à desigualdade.