Agroforte gera trabalho e renda com o processamento de resíduos em Santa Catarina

A empresa catarinense Agroforte, de processamento de resíduos, investiu dois milhões de reais no ano passado em tecnologia para reaproveitar as toneladas de resíduos de pescado que são deixadas na sede da empresa, em Florianópolis, todos os dias.

A maior parte dos resíduos vem da filetagem nas feiras, peixarias e de toda a indústria pesqueira do litoral de Santa Catarina.

Setenta por cento do peixe não serve para o consumo humano: cabeça, rabo, espinhas são reaproveitados nesse processo, para a produção de farinha e óleo para a fabricação de ração animal. A água usada no processo é tratada e devolvida para o meio ambiente.

“Toda carga é verificada para ver se está de acordo com controles rígidos do Ministério da Agricultura; apenas cargas que atendam os padrões de qualidade são recebidas e processadas”, contou Luiz Leme, diretor da empresa.

Além de contribuir para o saneamento no meio ambiente a transformação dos resíduos gera 700 empregos diretos e indiretos e contribuiu para a economia da região.