Dezesseis organizações e empresas de impacto social em São Paulo e no Rio receberão R$ 20 mil da Neoenergia durante a pandemia

As grandes indústrias estão preocupadas com os prejuízos econômicos causados pela pandemia de coronavírus, mas os mais afetados são os trabalhadores autônomos, pequenos empreendedores e as organizações sem fins lucrativos, que normalmente não têm grande rotatividade de dinheiro, nem reservas para manter as atividades e funcionários neste período.

Em parceria com a ONG Ekloos, de incentivo a ações de impacto social, o grupo Neoenergia, que une empresas de distribuição de energia elétrica em 18 estados brasileiros, lançou o edital da segunda edição do programa de Aceleração Social Impactô.

O programa vai selecionar 16 ONGs e negócios de impacto que estão combatendo o coronavírus em regiões vulneráveis em São Paulo e no Rio de Janeiro, que ganharão um fundo emergencial de R$ 20 mil e mentorias online sobre gestão estratégica, negócios e inovação durante cinco meses. Ao final do período, as organizações concorrerão a um incentivo de R$ 45 mil.

Para participar, as empresas precisam estar fazendo ações sociais nas regiões abastecidas pela Neoenergia que mais estão sofrendo os impactos do coronavírus. As inscrições estão abertas até o dia 18 de maio no site www.ekloos.org/impacto.

Além dos prêmios em dinheiro, o programa vai capacitar 80 gestores, cinco de cada uma das 16 organizações, para o período pós-crise.

A Neoenergia dedicou R$ 2,17 milhões na capacitação de ONGs, fortalecimento de empreendedores locais e distribuição de alimento no Rio Grande do Norte, Bahia, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro em parceria com a Associação Transforma Brasil e o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS).