Em nove anos, a energia eólica no Brasil deu grandes passos. Quando começou a ser testada, em 2010, produzia uma quantidade insignificante de energia e menos de uma década depois as usinas eólicas já são capazes de atender cerca de 75 milhões de pessoas – mais do que o total de habitantes dos estados de São Paulo e Minas Gerais juntos.

Segundo a Associação Brasileira de Geração de Energia Eólica (Abeeólica), as usinas já representam 8% da matriz energética nacional e, em 2018, chegou a produzir mais de 14 gigawatts de energia elétrica, equivalente à produção anual da usina de Itaipu, a segunda maior hidrelétrica do mundo.

De acordo com a Abeeólica, a energia eólica deverá ser a segunda maior fonte de energia do Brasil em três anos, ficando atrás somente da hidrelétrica.

O Brasil tem 568 empreendimentos eólicos espalhados principalmente no nordeste, região que tem os melhores índices de ventos para a geração de eletricidade. Na região, a energia eólica já é responsável por 70% da geração de energia.