A principal área de formação de gelo marinho no Ártico siberiano ainda não começou a congelar, o que deveria acontecer até o final de outubro, e isso está preocupando os ambientalistas porque o fenômeno ocorre pela primeira vez desde o início dos registros científicos.

Segundo cientistas, o atraso no congelamento do Mar de Laptev decorre do calor que continua afligindo o norte da Rússia e do avanço de correntes de água mais quente vinda do Oceano Atlântico, conforme relato do Climainfo.

O degelo, causado pelo aquecimento global, está expondo peças arqueológicas que passaram milhares de anos sob o gelo, o que tem causado uma corrida de arqueólogos e pesquisadores para recuperar esses itens.

Acredita-se que verdadeiros tesouros arqueológicos podem ser encontrados na região das Montanhas Rochosas, nos EUA. As peças reveladas pelo degelo incluem ossos de homens e animais, pontas de lança, utensílios de cozinha, flechas de madeira, couro e outros materiais orgânicos foram preservados pelo gelo durante milhares de anos.