BMW vai produzir rodas com 70% de matéria-prima secundária e economizar 500 mil t de CO² por ano

Com o objetivo de promover a cadeia de suprimentos mais sustentável da indústria automotiva, o Grupo BMW vai usar em suas linhas de montagem rodas produzidas com energia verde, o que vai fazer a empresa reduzir pela metade as emissões de CO² da cadeia de abastecimento.

As rodas do carro são responsáveis por 5% dessas emissões e a empresa usa 10 milhões de rodas de liga leve por ano, 95% delas feitas de alumínio fundido. O projeto resulta numa economia de até 500.000 toneladas de CO² por ano a parir de 2024.

“A energia verde é uma das maiores alavancas para reduzir as emissões de CO² em nossa cadeia de suprimentos. Já fechamos mais de 400 contratos com nossos fornecedores, incluindo fornecedores de rodas e alumínio, exigindo que eles usem energia verde”, disse Joachim Post, da BMW AG.

A marca do grupo que vai iniciar o uso de rodas fundidas de liga leve sustentáveis é a Míni, na nova geração doMíniCountryman. A combinação de 100% de energia verde para produção e 70% de conteúdo de matéria-prima secundária pode reduzir as emissões de CO² em até 80%, em comparação com os processos de fabricação convencionais.

É mais fácil derreter rodas antigas de alumínio como parte da economia circular, eliminando a necessidade de eletrólise intensiva em energia para produzir a matéria-prima primária.