O Instituto Humanus, que desenvolve soluções de inclusão social, lançou uma máscara transparente para pessoas com deficiência auditiva, que dependem da expressão facial para se comunicar. A máscara é feita de pet ou plástico pvc e busca oferecer maior conforto e proteção também para pessoas alérgicas.

O material da máscara é leve e se justa ao rosto sem pressionar o nariz. A respiração flui pelos filtros de ar com carvão ativado, que impede a entrada de coronavírus e outras bactérias do ar.

Os filtros devem ser trocados a cada 15 dias e a máscara deve ser higienizada com álcool depois de cada utilização.

Mas a máscara transparente pode ser benéfica para todos, já que também facilita a identificação do rosto.

Além das máscaras, o Instituto desenvolveu cabines de esterilização para cadeiras de rodas, bengalas, muletas, andadores, próteses, roupas e acessórios que prometem matar 99,9% das bactérias sem usar produtos químicos e num processo a seco, mais prático e rápido.