Foto: Divulgação

 

A GM colocou sua experiência, funcionários e instalações à disposição do governo para uma força-tarefa no conserto de respiradores que não estão funcionando no Brasil, para atender os infectados com o coronavírus.

A empresa, junto com outras montadoras, atua junto ao ministério da Economia, Senai, Associação Brasileira de Engenharia Clínica para aumentar o número de aparelhos disponíveis para atender pacientes graves infectados.

“Estamos treinando nosso corpo técnico voluntário e preparando salas nas operações da GM no Brasil para realizarmos os reparos na semana que vem”, disse Carlos Sakuramoto, gerente de inovação da montadora.

Existem mais de três mil respiradores que não estão em operação, número pode ser ainda maior. O objetivo é consertar 100% dos aparelhos e em seguida levá-los para os hospitais onde serão usados.

“Este é o momento de usarmos todas as armas que temos contra esse vírus e a GM fará tudo o que está ao seu alcance para ajudar o Brasil e o mundo a passarem por este momento difícil”, declarou Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.