O aquecimento global, que tem como consequência direita o aumento do volume de água dos oceanos é um problema tão sério que já existe um movimento para socorrer pessoas que possam ter suas casas atingidas pelo fenômeno, principalmente moradores de países insulares com residência próximas da costa.

A elevação do nível do mar nas próximas décadas pressionará cada vez mais países localizados no Oceano Pacífico, formados por arquipélagos. Por isso se discute na Austrália a criação de uma nova categoria de visto para cidadãos dessas nações ameaçadas que poderão ser forçados a deixar suas casas em virtude do avanço da água salgada.

O movimento de fuga de pessoas ameaçadas já está ocorrendo. Pesquisadores do Centro Kaldor para Direito Internacional sobre Refugiados da Universidade de New South Wales, citado pelo Climainfo, detectaram que a região da Ásia-Pacífico concentrou mais de 80% dos deslocamentos de pessoas causados por eventos climáticos extremos entre 2008 e 2018.

No ano passado, o número de pessoas forçadas a deixar suas terras por causa de desastres naturais foi três vezes maior que o de pessoas desabrigadas por conflitos armados e a perspectiva é de que esses movimentos se intensifiquem à medida que o nível do mar continue subindo.

A revista Earth System Dynamics publicou um estudo sobre a migração causada pela crise climática, mostrando que a mudança do clima pode fazer com que centenas de milhões de pessoas deixem suas terras. Áreas com altas taxas de crescimento populacional nas próximas décadas estão entre as mais afetadas pelo avanço das águas dos oceanos.