Jovens apoiados pelo Instituto Árvore da Vida se transformam em atores e cantores

Créditos: Kika Antunes

O objetivo era contribuir para mudar a vida e a trajetória de crianças e jovens da comunidade do Jardim Teresópolis, em Betim (MG), com cultura e educação, enfim, promover um trabalho que pudesse ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica a traçar um rumo na vida.

Mas o resultado foi muito além: quando os 47 jovens atores e cantores entraram o palco do Cine Theatro Brasil , dia 23 de outubro, para fazer a apresentação do espetáculo Por Isso que Eu Canto, os responsáveis pelo Instituto Árvore da Vida, da FCA (Fiat Chrysler Automobiles), estavam oferecendo ao público uma montagem de primeira grandeza, que nada deve a apresentações profissionais. E as estrelas eram eles, meninos e meninas, alguns já barbados, que se entregaram aos cursos e vivências que o Instituto leva para as crianças em forma de aprendizado de música, dança, em suma: desenvolvimento humano.

Créditos: Kika Antunes

Em, parceria com o grupo Ponto de Partida, esses artistas populares comemoraram os 15 anos de trabalho social do projeto Árvore da Vida. Na apresentação, os jovens interpretaram 15 músicas de artistas brasileiros que ilustram a trajetória, os sonhos, os desejos e as alegrias vividos no Instituto. um repertório, diga-se, de muito bom gosto, com obras de artistas como Djavan, Gabriel o Pensador, Gilberto Gil, Chico Cezar, Chico Buarque de Holanda, Milton Nascimento, Gonzaguinha e Rita Lee. Precisa mais? Foi uma apresentação de encher os olhos. E os ouvidos.

“Os próprios adolescentes foram a inspiração para a criação do espetáculo, por que é vital falarem sobre quem são, o que sentem, com o que sonham. As músicas funcionam como um texto dramático e são essenciais para que o público entenda a história deles”, disse Regina Bertola, responsável pela direção do espetáculo.