População de onças-pintadas aumentou de 84 para 125 em cinco anos

Um levantamento feito por pesquisadores do Brasil e da Argentina revelou que a quantidade de onças-pintadas na região de Foz do Iguaçu aumentou. O resultado é positivo, mas ainda não há razão para comemorar, afinal, a espécie continua ameaçada de extinção.

Com apoio de 80 câmeras instaladas em pontos estratégicos, os pesquisadores estimam que haja entre 84 e 125 animais na reserva do Parque Nacional do Iguaçu, que fica na divisa entre Brasil e Argentina. É o melhor número desde 2014, quando a estimativa era de apenas 51 a 84 animais da espécie na região.

O aumento populacional é resultado da cooperação entre os institutos de defesa WWF-Brasil, Fundación Vida Silvestre Argentina (FVSA), Parque Nacional do Iguaçu, Parque Nacional Iguazú, Projeto Onças do Iguaçu, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA).

“Atuamos também na conscientização de moradores vizinhos ao parque para a redução da caça, principal ameaça à vida silvestre”, disse Felipe Feliciani, analista de conservação do WWF-Brasil.

Além de manter a espécie viva, a preservação da onça-pintada ajuda a manter o equilíbrio das florestas e pantanais brasileiros e gera renda com turismo.