Canudinho de papel é a nova onda em defesa do meio ambiente

0
2483
Crédito: Viva

Empresa lança produto inovador; Câmara vota hoje (20/02) a proibição do canudo de plástico em São Paulo

Um canudinho de papel inovador, robusto o suficiente para perfurar o local disponível nas embalagens, está sendo apresentado no mercado para atender a expectativa da sociedade no sentido de reduzir o lixo plástico levado aos oceanos, e que provoca poluição e morte de animais marinhos.

O produto, desenvolvido pela empresa SIG, é de papel renovável e reciclável, e vem num invólucro que permanece preso à embalagem ao ser descartado e, portanto, pode ser reciclado junto com o canudo.

“Ajudar os clientes a melhorar a sustentabilidade de seus produtos é uma parte importante do compromisso da empresa em seguir sua estratégia de sustentabilidade que devolve mais para a sociedade e meio ambiente do que retira dele”.

Markus Boehm, diretor da SIG, que já fornece o canudo para a Nestlé da República Dominicana, disse que o objetivo é atender às necessidades do mercado com relação à crescente preocupação com o lixo marinho, e contribuir com as demandas regulatórias e de consumo de canudos de plástico. Os canudos são feitos de papelão de florestas certificadas.

Para a bióloga Marina Leite, da ONG Viva Baleias, Golfinhos e cia, o ideal seria eliminar de vez o canudo, uma vez que, segundo ela, tem pouca utilidade. Ela reconhece, no entanto, que o canudinho na bebida acaba se tornando uma prática divertida, usado para mexer o coquetel, misturar a bebida com o gelo e, obviamente, inferir o conteúdo sem tocar a boca no copo. Assim, sugere o uso de outro material que não o plástico.

“Tem muitas alternativas, como o canudo de bambu, de material comestível (casquinha de sorvete), o inox, que é reutilizável e também o canudo de macarrão, talvez a melhor solução, mas que é muito caro porque importado da Itália”, disse Marina Leite.

São Paulo é a próxima

São Paulo poderá ser a próxima cidade a proibir o uso de canudo de plástico. O prefeito Bruno Covas (PSDB) deverá sancionar o projeto de lei que determina a proibição de fornecimento dos canudos em estabelecimentos comerciais da capital. O projeto de lei tramita na Câmara Municipal de São Paulo e deverá se votado nesta quinta-feira, 20 de fevereiro.

Cotia, Ilhabela, Santos. Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro e Camboriú são algumas cidades brasileiras livres do canudinho de plástico.

Em tempo: O projeto não foi aprovado na Câmara, volta ao plenário na quarta-feira que vem (17h25).