15 aldeias no litoral Sul paulista passam dificuldade por causa da pandemia

Bem pertinho de São Paulo, a pouco mais de 100 quilômetros em direção ao Sul, cerca de 500 indígenas vivem em 15 aldeias, mantendo as tradições dos Tupi Guaranis, seu conhecimento da natureza na região de Peruíbe e Itanhaém, litoral paulista. Homens, mulheres, jovens e crianças conservando os costumes e lendas, entre os quais estão seus mais velhos e suas mais velhas, seus txeramõi e txedjarãy, os guardiões da sabedoria Tupi Guarani.

Mas essas comunidades indígenas e sua cultura vêm sofrendo perseguições diante do descaso do governo em relação às comunidades indígenas e a chegada da pandemia trouxe mais uma ameaça ao seu modo de vida.

Diante dessa situação, o Projeto social Vivência na Aldeia, idealizado e mantido pelo Coletivo Cultive Resistência iniciou uma campanha de apoio às comunidades da região de Peruíbe e Itanhaém.

O Coletivo Cultive Resistência apóia famílias indígenas da região, organizando que fortalecem sua cultura, promovendo resgate, afirmação cultural e geração de renda. Mas com a chegada da pandemia e a necessidade do isolamento social para sua proteção, as comunidades tiveram muitos dos seus trabalhos paralisados, acarretando em dificuldades de subsistência.

Além de frentes de apoio à famílias da região, vendendo seus artesanatos, buscando apoio e doações para seus projetos, foi iniciada a ação Alimentação e Vida na Aldeia, com o objetivo de sustentar as famílias e prevenir os indígenas da contaminação pelo coronavírus.

Já foram distribuídas cestas básicas com alimentos tradicionais Tupi Guarani e alimentos brasileiros, material de higiene e material educativo sobre a prevenção da Covid-19. Foram atendidas 110 famílias indígenas.

O Projeto social Vivência na Aldeia, idealizado e mantido pelo Coletivo Cultive Resistência, desde 2013 apoia famílias indígenas desta região, organizando junto com elas projetos que fortalecem sua cultura, promovendo resgate, afirmação cultural e geração de renda. Mas com a chegada da pandemia e a necessidade do isolamento social para sua proteção, as famílias dessas comunidades indígenas tiveram muitos dos seus trabalhos paralisados, acarretando em dificuldades sérias de subsistência.

Para saber mais e apoiar entre: http://vivencianaaldeia.org/apoie