Placar ficou 41 votos a favor e dois contrários; segunda votação deve ser após carnaval

A proibição do fornecimento de canudinhos plásticos no comércio de São Paulo está próxima a virar realidade.  O projeto de Lei 99/2018 que veta o material foi aprovado, em primeira votação, na tarde desta quarta-feira, 27, no plenário da Câmara Municipal.

A proposta precisa ainda ser aprovada em segunda votação na Câmara dos vereadores para ser enviada para sanção do executivo. O prefeito Bruno Covas (PSDB) já indicou que apoia o projeto.

A proposta prevê a proibição do fornecimento de canudos de material plástico a clientes de hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais. A restrição será aplicada também a clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais.

A substituição poderá ser por canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados feitos do mesmo material.

Outras cidades como Santos, no litoral paulista, já aprovaram lei semelhante. O objetivo é combater um dos vilões do meio ambiente.

O texto do PL mostra que, por ser de uso individual e efêmero, o canudo plástico é um dos problemas ecológicos contemporâneos mais urgentes. Se cada brasileiro usar um canudo plástico ao dia, serão consumidos mais de 75 bilhões de unidades anualmente.

“Mais de 95% do lixo nas praias brasileiras é plástico. Assim como outros resíduos, eles acabam no mar, causando piora nos habitats naturais e na saúde dos animais, que com inaudita frequência morrem por ingestão de plástico”, afirma Reginaldo Tripoli, vereador do PV e autor do projeto de lei.

Sabrina Pires