Câmara Municipal aprova fim de canudos plásticos em São Paulo

0
2803
Foto: Viva

Placar ficou em 32 votos a favor e 2 contra, projeto segue para sanção de prefeito Bruno Covas (PSDB)

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, 17 de abril, em segunda votação, o Projeto de Lei (PL) 99/2018, de autoria do vereador Xexéu Tripoli (PV), que proíbe o fornecimento de canudos plásticos na cidade de São Paulo.

O PL tem a coautoria de outros 48 parlamentares. Foram 32 votos favoráveis e 2 contrários. O projeto vai agora para sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB), que já se manifestou publicamente favorável à iniciativa. A Prefeitura tem até 180 dias para regulamentar a lei e depois disso há novo prazo de 180 dias para que o comércio se adeque às novas regras.

A proposta prevê a proibição do fornecimento de canudos de material plástico a clientes de hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais. A restrição será aplicada também a clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais.

Para substituir os canudos plásticos, poderão ser fornecidos canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados, feitos do mesmo material.

A justificativa do PL indica a finalidade de combater o descarte de Câmara aprova projeto que proíbe canudos plásticos em São Paulo

Projeto de Lei, do vereador Xexéu Tripoli (PV), foi aprovado, em segunda votação, na tarde desta quarta-feira, no plenário da Câmara Municipal de São Paulo

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, em segunda votação, o Projeto de Lei (PL) 99/2018, de autoria do vereador Xexéu Tripoli (PV), que proíbe o fornecimento de canudos plásticos na cidade de São Paulo.

O PL tem a coautoria de outros 48 parlamentares. Foram 32 votos favoráveis e 2 contrários. O projeto vai agora para sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB), que já se manifestou publicamente favorável à iniciativa. A Prefeitura tem até 180 dias para regulamentar a lei e depois disso há novo prazo de 180 dias para que o comércio se adeque às novas regras.

A proposta prevê a proibição do fornecimento de canudos de material plástico a clientes de hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais. A restrição será aplicada também a clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais.

Para substituir os canudos plásticos, poderão ser fornecidos canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados, feitos do mesmo material.

A justificativa do PL indica a finalidade de combater o descarte de materiais plásticos, cujo impacto ambiental é enorme. Para Tripoli, a iniciativa coloca a cidade de São Paulo “alinhada às cidades mais desenvolvidas do mundo no combate à poluição do meio ambiente”.

Plásticos de uso único
Tripoli vai trabalhar agora em uma espécie de “extensão” do projeto. Trata-se do PL 99/2019, protocolado em março, que dispõe sobre a proibição de fornecimento de produtos de plástico de uso único como copos, pratos, talheres, agitadores para bebidas e varas para balões de plásticos descartáveis aos clientes de hotéis, restaurantes, bares e padarias, entre outros estabelecimentos comerciais.

“Muita gente dizia que era só o canudinho, mas queremos ir muito mais além. O problema do lixo plástico é mundial. O canudo é apenas um símbolo de uma questão muito maior. E a cidade de São Paulo, pela sua grandeza, tem muito a colaborar”, disse.

Segundo o vereador, na condição de signatária da Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas), é dever da cidade de São Paulo ter uma gestão eficiente de resíduos e ser uma cidade mais sustentável.

Sabrina Pires