– Termotécnica recolheu 30 mil t de material, emprega 100 pessoas e transforma isopor em novos produtos de consumo

Muito usado como embalagem no transporte de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, refrigeradores e fogões, o EPS (poliestireno expandido) o material – conhecido popularmente pelo nome de uma marca, o isopor – poderia se transformar num grande problema ambiental, inclusive por seu grande volume, caso não fosse processado e reciclado.

Uma boa parte desse material é recolhida e tem a destinação correta, mas muita gente, ao receber em casa um aparelho embalado em isopor, não sabe o que fazer com o material.

Aí é que entra o trabalho de empresas como a Termotécnica, que atua justamente na transformação de EPS e é líder no mercado. Um terço de toda esta reciclagem é feita pela Termotécnica, que mantém um programa com resultados significativos, com 30 mil toneladas de EPS reciclado, o que propicia 100 empregos diretos. São mais de 1.200 pontos de coleta e 391 cooperativas envolvidas.

O isopor reciclado é vendido para empresas que o transformam em rodapé de parede, moldura de quadro, capa de CD, régua escolar, corpo da caneta, sola de sapato etc.

Com investimento de R$15 milhões, a empresa mantém unidades de reciclagem em Manaus, Indaiatuba, Rio Claro, São José dos Pinhais, Joinville, Petrolina e Sapucaia do Sul.

Veja no portal www.reciclareps.com.br qual o ponto de coleta mais próximo e contribua para a coleta e reciclagem do isopor.