Uma visita ao alambique da Volúpia

2893
12135

 – A bordo do Jeep Renegade, os Provadores de Cachaça visitam o alambique de uma das melhores cachaças da Paraíba

volupia06

Quase chegando ao alambique, o Renegade corta a cidade de Pirpirituba, atravessando uma ruazinha estreita e aconchegante com casinhas baixinhas pintadas de cores alegres.

volupia07

Na parede do pequeno cômodo, à esquerda da estradinha, o anúncio da vocação do lugar: “Reforço Escolar”. Pela janela de tábuas, aberta nas duas abas, pode-se ver Elinaide ao fundo, administrando um punhado de crianças em sua aula diária. Caio, Estéfani, Daiane, Ana Clara, Paí e Edson circundam a grande mesa onde depositam suas brochuras e dúvidas, enquanto a professorinha vai saciando o desejo de saber nos pequenos.

volupia03 volupia01

O alambique da cachaça ganhadora de vários prêmio, reconhecida como uma das melhores entre todas as marcas produzidas na Paraíba, fica uns passos à frente, despretensiosamente anunciada numa placa de madeira mal ajambrada instalada num mourão que sustenta um portão modesto.

volupia02

Uma torre portentosa já dentro do sítio, no entanto, revela que chegamos ao nosso objetivo: vamos conhecer uma das melhores cachaças do Nordeste brasileiro.

volupia08

Feita com cana 10-11 cultivada na própria propriedade, que tem alto teor de açúcar e produz um caldo mais azulado, a Volúpia tem a sua produção controla por Adriano de Souza Filho, responsável pelo processo produtivo, da moenda ao engarrafamento, passando pela fermentação, destilação e controle de qualidade.

Como manda o bom comportamento ambiental, o bagaço é usado como combustível na caldeira e o que sobra é vendida para cama de frango ou alimento para gado.

O processo de fermentação dura 24 horas, resultando em 500 litros de levedura e 1000 litros de cachaça em cada tonel. Os 10% iniciais da destilação, a “cabeça”, são desprezados e posteriormente vai virar etanol, para ser usado no tanque de combustível dos carros e da moto dos funcionários.

Pronta, mas ainda com graduação alcoólica de 50 graus, a cachaça passa a descansar em barris de freijó, onde fica por seis meses e atinge a graduação final de 42 graus, como é comercializada. De cada 1000 litros de caldo saem 160 litros de cachaça. No total, com paralisação das atividades na entressafra, o alambique produz por ano de 85 mil a 90 mil litros.

volupia05

volupia04

A Volúpia produz uma cachaça branca, descansada em freijó, e uma envelhecida em tonéis de carvalho, amarela escura, ambas muito saborosas e aprovadas pelos integrantes dos Provadores de Cachaça que visitaram o Alanbique.