São Sebastião é referência no surfe paulista

0
3029

Segunda etapa bate recorde de competidores e revela alto nível técnico

Com a participação de aproximadamente 170 atletas de várias cidades, a segunda etapa do Circuito Sebastianense de Surfe, realizada de 6 a 8 de julho, na praia de Guaecá, mostrou porque a competição tem se destacado como referência aos competidores pelo excelente nível técnico. Realizada pela Associação de Surf de São Sebastião (ASSS), com apoio da Secretaria de Esportes da Prefeitura do Município e supervisão técnica da Federação Paulista de Surfe, essa edição teve de tudo: sol, boas ondas, praia lotada em pleno inverno e muitos destaques nas 11 categorias disputadas.

“Essa etapa entrou para a história do surfe de São Sebastião pelo excelente nível técnico, o que tem atraído mais surfistas para o circuito, que já se transformou em referência aos atletas da região e outros municípios”, disse o presidente da Associação de Surfe de São Sebastião, Frank Constancio.

Ele explicou que, apesar de o circuito ser municipal, as etapas têm atraído atletas de outras cidades que concorrem em algumas categorias quando há disponibilidade de vagas. Essa última etapa contou em peso com surfistas do Litoral Norte, das cidades de Ubatuba e Caraguatatuba, além de São Sebastião, e de municípios da Baixada Santista, Litoral Sul e até do Rio de Janeiro e ainda do Ceará, como é o caso do surfista Mathias Ramos que venceu nas categorias Open e Júnior, sendo um dos destaques da competição.

Entre os destaques, vale citar a carioca Júlia Duarte, que deixou o Rio de Janeiro para integrar o Instituto Gabriel Medina (IGM). Ela venceu na categoria Feminino Open na primeira etapa do circuito e repetiu o resultado nessa última etapa. Já na categoria Feminino Sub 12, a vitória ficou com Naire Marquez, que também venceu a primeira etapa.

Também se destacaram os atletas Gilmar Pulga, vencedor da categoria Master, Rodrigo Saldanha (Iniciantes) e Murilo Coura (Estreantes), vencedores na primeira etapa, além de Renan Rodrigues (Mirim), Júnior Lisboa (SUP), Alexsandro Abolição (Longboard) e Kalani Robles na Petit, categoria que deu um show mostrando o talento dessa nova geração do surfe.

Qualidade
O secretário de Esportes da Prefeitura de São Sebastião, Philipe Marmo, acompanhou o evento e destacou o nível técnico dos competidores. “A qualidade é altíssima. Temos diversos talentos e tenho a certeza que, daqui do circuito, sairão novos campeões que representarão a cidade, novos Medinas”. Ele frisou a importância da parceria entre a Prefeitura e a ASSS. “A pedido do prefeito Felipe Augusto, a administração tem apoiado efetivamente o surfe em todas as etapas do sebastianense, com viagens, inscrições da equipe em competições fora da cidade e a gente pretende aumentar esse apoio com as escolinhas esportivas”, afirmou.

Segundo o secretário, a Prefeitura mantém uma escolinha de surfe em Barequeçaba, mas pretende ampliar para outros bairros atendendo também a Costa Sul. A proposta é levar o programa para as praias de Boracéia, Juquehy, Camburi, Maresias e Baleia. Para isso, a administração obteve aprovação de projeto para o Programa Segundo Tempo, com recurso total de R$ 320 mil por parte do Ministério do Esporte. “O projeto foi aprovado, publicado no Diário Oficial da União e estamos na expectativa do repasse dos recursos que também beneficiarão as modalidades skate e futebol”, explicou Philipe Marmo.

Sonho
Expectativa é o que não falta para essa nova geração do surfe como é o caso da carioca Júlia Duarte, campeã na categoria Feminino Open. Ela deixou o Rio para morar com o pai em São Sebastião e poder frequentar o Instituto Gabriel Medina. Feliz com os resultados, frisou a importância do circuito. “O nível das atletas é muito bom e temos bastante competidoras”, disse Júlia que sonha atingir o mais alto pódio da carreira como campeã mundial e tem na surfista havaiana Carissa Moore um exemplo a ser seguido.

Morando em Maresias desde o ano passado, o vencedor da categoria Iniciantes, Rodrigo Saldanha, 13 anos, deixou São Paulo também para integrar o Instituto Gabriel Medina onde frequenta desde agosto de 2017. O garoto, que treinava com Jojó de Olivença quando enfrentava as ondas em Guarujá, também sonha em chegar ao pódio como seu exemplo, o campeão mundial Gabriel Medina. Sua determinação é para vencer cada competição. “Todo mundo quer ganhar. Fui para a bateria pensando nisso e venci a prova. O circuito está cada vez melhor com mais atletas e o nível alto”, afirmou o jovem surfista.

Apoio
A terceira edição do sebastianense será entre os dias 24 e 26 de agosto, na praia de Camburi, e a final entre 23 e 25 de novembro, em Juquehy. O circuito conta com patrocínio da Wizard, Chillstrong, Red Nose, The Project, 100% Surf, Raízes, Surfwood, Pousada das Praias e NS Comunicação.

Resultados
Open
1º Mathias Ramos
2º João Pedro Costa
3º Fernando Júnior
4º Adriano Camargo

Júnior
1º Mathias Ramos
2º Kaue Germano
3º Caio Costa
4º Daniel Adisaka

Mirim
1º Renan Rodrigues
2º Pedro Bianchini
3º Kaue Germano
4º Caio Costa

Iniciantes
1º Rodrigo Saldanha
2º Renan Rodrigues
3º Fabrício Rocha
4º Yan Sondahl

Estreantes
1º Murilo Coura
2º Ryan Coelho
3º Guilherme Fernandes
4º Kauã Campos

Petit
1º Kalani Robles
2º John Muller
3º Thiago Doncev
4º Enzo Yagui

Master
1º Gilmar Pulga
2º Douglas Lima
3º Cristiano Rosário
4º Rafael Maéco

Longboard
1º Alexsandro Abolição
2º Dinho
3º Guga
4º Felipe Frediani

SUP
1º Junior Lisboa
2º Zé Paulo
3º Leandro Alemão

Feminino Open
1º Júlia Duarte
2º Isabela Saldanha
3º Naire Marquez
4º Sophia Gonçalves

Feminino Sub 12
1º Naire Marquez
2º Sophia Gonçalves
3º Mayara Zampieri
4º Giovanna Donato

Por: Rosangela Falato
Fotos: Caco Reis