Pesca da tainha movimenta Santa Catarina

2216
28873

Embarcações artesanais têm prioridade na pesca. Motorizadas, só na segunda quinzena de maio

A Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento publicou portarias estabelecendo critérios e procedimentos para a concessão de autorização de pesca complementar de tainha. Márcio Alves, diretor do Departamento de Registro, Monitoramento e Controle da Agricultura e Pesca, disse que o procedimento é inédito e está sendo feito para dar maior acessibilidade a todo setor pesqueiro. O site do www.agricultura.gov.br, traz mais informações para os interessados no assunto.

Em Palhoça, Santa Catarina, já começou a captura do peixe. Na última terça-feira (9) foram recolhidas 1,5 tonelada de tainha na praia da Pinheira. Cerca de 100 moradores da região auxiliam a pesca e foram compensados com o recebimento de peixes. Na praia do Santinho, canoas estão preparadas para a pesca ao mar.

Em 2016, foram capturadas 3,5 mil toneladas de tainha, foi a melhor safra nos últimos 30 anos. A previsão pata este ano é de no máximo 1,7 mil toneladas.
A temporada foi iniciada dia primeiro de maio e até o dia 15 apenas as canoas de pesca artesanal poderão cercar os cardumes. Só na segunda quinzena é que as embarcações motorizadas poderão fazer a captura.

Um cerimonial religioso pediu a proteção aos pescadores e veio acompanhado de café da manhã, roda de capoeira, boi de mamão, exposição de fotografias e a participação de entidades de preservação ambiental, como o Projeto Tamar e o Movimento SOS Campeche Praia Limpa.

A pesca artesanal mantém a subsistência de várias famílias e carrega a história e tradição da cidade.