Em defesa dos biocombustíveis

197
5627
DIVULGAÇÃO-UBRABIO

Governador Alckmin, Anfavea, Sindipeças assinam manifesto em apoio ao Programa Renova Bio

Um manifesto em apoio à priorização do setor de biocombustíveis, por meio do Programa Renova Bio, obteve a assinatura de 18 entidades ligadas diretamente ao segmento e o apoio do governador paulista Geraldo Alckmin. A Anfavea e o Sindipeças endossaram o documento.

A assinatura do acordo foi realizada nesta segunda-feira (31), com a  presença dos secretários de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, Energia e Mineração João Carlos Meirelles, e de Meio Ambiente, Ricardo Salles, em reunião do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Fiesp.

“O manifesto pode vir ao encontro do acordo do clima, aumentando a participação do etanol, do biodiesel, do bioquerosene, do biogás e da bioeletricidade. Isso gera muito emprego e respeita o meio ambiente”, disse Alckmin.

Plínio Nastari, da Consultoria Datagro, disse durante a cerimônia que o setor representa expressiva fonte de energia primária no Brasil, movimenta uma grande cadeia de produção que envolve o setor automotivo e de autopeças, bens de capital, máquinas e equipamentos, químico de fertilizantes e muitos outros, responsáveis por 2,5 milhões de empregos diretos e indiretos gerando renda e desenvolvimento econômico e social.

O uso de energias renováveis contribui para a redução da poluição dos grandes centros. Desde 1975, o uso do etanol e biodiesel permitiu a redução de mais de um bilhão de toneladas de CO2, segundo Nastari.

O investimento no setor deverá ampliar a produção de álcool combustível para 54 bilhões de litros até 2030, quase o dobro do que se produz atualmente.

Isso significa um aumento de 18% na participação de combustíveis renováveis na matriz energética brasileira.