Bonita, cheirosa…., mas perigosa!

0
9966

Conheça as principais plantas venenosas da biodiversidade brasileira; algumas podem até matar

A variedade na flora brasileira é grande, com uma infinidade de variedades que servem de alimento para o homem e para outros seres vivos. Há também diversas espécies de plantas medicinais, além das ornamentais. Mas há outras variedades que, digamos, não são muito bem vindas, não. São as plantas venenosas, muitas delas bonitas, perfumadas e portanto atraentes, mas muito perigosas.

Segundo o Conselho Nacional de Biologia ocorrem no Brasil cerca de dois mil casos de envenenamento por plantas por ano, sendo que as crianças são as principais vítimas de intoxicação, muitas vezes provocada por ingestão.

Os sintomas são diversos, os mais comuns são coceira, dormência, vertigem, enjoo, diarreia e desidratação. Algumas plantas mais perigosas podem levar a vítima à morte.

O copo-de-leite, que serve de decoração na casa, esconde o perigo por trás da beleza e pode causar vômito, diarreia e até asfixia. Outras plantas como a mamona, por exemplo, que servia de munição para as guerras e brincadeiras inofensivas de criança, podem até levar à morte nos casos extremos.
Em caso de intoxicação, é importante procurar um médico e levar uma amostra da planta para facilitar o diagnóstico e fazer o tratamento correto.

O conselho separou os tipos mais comuns de plantas venenosas no Brasil e as reações que elas causam. Veja abaixo:


Aroeira (Lithraea brasiliens March)
Pode provocar bolhas, coceira ou vermelhidão na pele. Se ingerida, pode causar problemas gastrointestinais.


Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima Willd)
Enjoos, vômitos e diarreia, são sintomas comuns, se ingerida. O contato pode causar inchaço na boca, dor, queimação e coceira. Além de irritação, inchaço das pálpebras e prejudicar a visão, em contato com os olhos.


Chapéu-de-Napoleão (Thevetia peruviana Schum)
Causa enjoos, tontura, vômitos, cólicas, diarreia e queimação na boca são comuns se tiver contato com a planta.


Comigo-Ninguém-Pode (Dieffenbachia picta Schott)
A ingestão ou contato podem provocar sensação de queimação, inchaço da boca, enjoo, vômito e diarreia. Além de dificuldade de engolir e asfixia. Se o contato for nos olhos, irritação e lesão da córnea.


Copo-de-Leite (Zantedeschia aethiopica Spreng)
Apresenta os mesmos sintomas de intoxicação da planta Comigo-Ninguém-Pode.


Mamona (Ricinus commumis L.)
A ingestão das sementes pode provocar enjoos, vômitos, cólicas e diarréia com sangue. Em casos extremos pode dar convulsão, levar ao coma e também à morte.


Saia-Branca (Datura suaveolens L.)
Ressecamento da pele e da boca, vermelhidão, pupilas dilatadas, taquicardia, agitação, alucinação e elevação anormal da temperatura do corpo, além de também levar à morte em casos mais graves.


Urtiga (Fleurya aestuans L.)
O contato com os pelos do caule e as folhas da planta pode causar dor imediata, vermelhidão coceira e bolhas pela pele.