Aumenta a produção de lixo doméstico. Veja como reduzir

0
9117
Foto: Divulgação

Dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais indicam que o brasileiro está aumentando mais a produção de lixo. O aumento do volume de resíduo entre 2014 e 2015 foi de 1,7% segundo a entidade, período em que a população cresceu apenas 0,8%. Os dados revelam que a população não está fazendo a sua parte no sentido de reutilizar e separar o material passível de ser reaproveitado.

Com o objetivo de contribuir para a redução da produção de lixo, o Instituto Akatu, que trabalha para disseminar a mensagem do consumo consciente, indica oito dicas para ajudar as pessoas a reduzir a produção de resíduos no dia a dia.

Para Renata Soares, diretora-executiva do Akatu, a população está acostumada a descartar o lixo de forma automática, sem parar para refletir sobre o volume que produzimos diariamente e nem sobre a sua destinação.

“O problema – diz – é que quando nos livramos do lixo, ele não deixa de existir. Imagine o que custa para a sociedade retirar, transportar, tratar e armazenar todo esse resíduo. Por isso, é muito importante que as pessoas reflitam sobre a real necessidade de suas compras e evite fazê-las por impulso. É preciso sair do automático e consumir com responsabilidade e consciência”.

Veja as oito dicas práticas para a redução de resíduos:
1º – Mais da metade dos resíduos domiciliares no Brasil (51,4%, segundo a Abrelpe) é de material orgânico, composto de resto de alimentos. Para evitar esse desperdício de alimentos, o primeiro passo é planejar o cardápio: antes de ir ao mercado ou à feira, verifique o armário e a geladeira e faça uma lista de compras com base do que é realmente necessário para cumprir o planejado no cardápio.

2º – Inclua no cardápio sementes, cascas, talos e folhas nas receitas. São partes dos alimentos que costumam ser desprezadas, mas que contém grande quantidade de nutrientes, por vezes mais do que a parte do alimento que é usada.

3º – Faça a compostagem de resíduos orgânicos (resto de alimentos e folhas) e uso o produto como adubo.

4º – Preste atenção à embalagem do produto: algumas atendem à necessidade de conservação do produto e trazem informações importantes, mas em muitos casos são excessivas. Já pensou em comprar produtos a granel e armazená-los em recipientes reutilizáveis?

5º – Ao passar pelo caixa para pagamento, pense se você realmente precisa aceitar uma sacola ou uma embalagem a mais. Muitas vezes, elas são entregues automaticamente aos consumidores sem necessidade e são usadas somente uma vez.

6º – Dê preferência a produtos duráveis e evite os descartáveis: quanto mais tempo um objeto puder ser aproveitado, melhor, pois mais tempo levará para ser descartado, reduzindo desta forma os resíduos gerados.

7º – Proporcione uma vida longa aos produtos que você compra: cuide bem do bem e pense em formas de consertar aquilo que quebrou ou estragou.

8º – Reflita antes de fazer uma compra: pense se você realmente precisa comprar ou se está sendo levado por um impulso do momento. Veja se você já não tem o suficiente e se pode, em vez de comprar, fazer uma troca, reutilizar ou pegar emprestado.